terça-feira, 28 de novembro de 2017

AO LONGO DOS ANOS BORDANDO CONQUISTAS


Breve histórico do Centro de Criação Galpão das Artes

Na verdade, o Centro de Criação Galpão das Artes surge da inexistência de um espaço exclusivo ao exercício das artes cênicas, educação e cultura em geral. Quando inaugurado em dezembro de 2000 ( fundação ) comportava um número restrito de 100 (cem) espectadores, após sucessivas adaptações recentemente a capacidade do equipamento foi ampliada par  150 (cento e cinqüenta) espectadores.
Já a origem do primeiro prédio ( avenida Severino Pinheiro ), onde funcionou a sede , está ligada intimamente a história do município. A década de 50 foi marcada pelo sucesso da colheita do algodão e em seguida pelo beneficiamento do próprio algodão atraindo investidores estrangeiros como SANBRA e ANDERSON CLEYTON. Em seguida, veio a praga do bicudo e dizimou a cultura do algodão da TERRA DO OURO BRANCO, leia-se Limoeiro, município pernambucano do agreste setentrional a 77 km de Recife.
Entretanto, recentemente,  dia 19 de outubro de 2011 ,  recebeu o Prêmio Itaú Unicef, edição 2011 em Fortaleza – CE, no Centro Cultural Dragão do Mar , com o projeto. No final do ano passado,  foi reconhecido como  Ponto de Memória pelo IBRAM  e Ministério da Cultura no dia 14 de dezembro de 2011, conforme Diário Oficial da União.
Prêmio Rodrigo Melo Franco, do IPHAN / Minc para o Galpão das Artes recebeu dia 18 de outubro de 2013 no Cine Brasília na linha de ações educativas. E no final do mês de julho do ano de 2016  seguiu para Minas Gerais, na cidade de Conselheiro Lafayete participando do Festival de Teatro.O brinquedo, que se tornou fonte de pesquisas para os membros do espaço cultural, permitiu que o Galpão das Artes conquistasse o prêmio Rodrigo Melo Franco, do IPHAN – Instituto do Patrimônio Histórico e  Artístico Nacional - e Ministério da Cultura, pela pesquisa intitulada Mané Gostoso – E o Vai e Vem do Lúdico. A premiação aconteceu na Biblioteca Nacional, em Brasília.

Outras informações
O Centro de Criação Galpão das Artes que fica localizado à rua Vigário Joaquim Pinto, nº 465, Limoeiro – Pernambuco, no agreste setentrional. A instituição existe há 17 ( dezessete ) anos e traz no seu currículo duas montagens teatrais de autoria de Ariano Suassuna, como: O Caso do Novilho Furtado e A Inconveniência de Ter Coragem . Esta última montagem além de ter percorrido as regiões norte, nordeste e sudeste do país chegou a cruzar o Atlântico aportando na Universidade de Coimbra, em Portugal. Atualmente, possui em seu repertório o espetáculo Histórias de Lenços e Ventos ( Ilo Krugli ) e uma série de contações de histórias dedicadas à infância e as ações do Ponto de Memória que concentra atividades com brinquedos populares tradicionais. Na verdade, o Galpão das Artes como é conhecido surge da inexistência de um espaço planejado ao exercício das artes cênicas no ano de 2000. O referente espaço possui um  teatro com capacidade para 100 (cem) espectadores e 10 (dez)  atores.

Nenhum comentário:

Postar um comentário