sábado, 2 de julho de 2016

EXPOSIÇÃO O VAIVÉM DO LÚDICO – CULTURA DA INFÂNCIA

 
Com o tema voltado a cultura da infância o Centro de Criação Galpão das Artes abre suas portas objetivando proteger e salvaguardar os brinquedos populares e tradicionais provocando um reencantamento nos adultos que conviveram muito bem com esses objetos fabulosos.

Também  de  fundamental  importância  para  se  entender  o  brinquedo,  é  estudar  a fase  humana  de vida  que  está  intitulada  como  “infância”.  Considerando  que  brinquedo  e infância estão associados, e que a tecnologia vem contribuindo para que as crianças sintam-se atraídas por objetos que ajudam a fazer a imaginação soltar-se, faz-se uma tentativa de estudar essas tendências da atividade humana por meio de um resgate histórico. Na medida em que os espaços para a expressão da brincadeira natural  da criança diminuem,  primeiro  com  a  restrição  imposta  pelos  espaços  urbanos, pela  extinção  dos quintais, pela restrição  da vida aos apartamentos, pela  violência da rua, e especialmente  pela disponibilização  de brinquedos  eletrônicos  que  permitem  a  criança  brincar  sozinha  ou  “on line”, mais se discute sobre a importância do brinquedo e do brincar na formação da criança. Brincar  é  um  direito  da  criança,  direito reconhecido  pela  legislação  do  Estado como a Constituição Federal de 1988, o Estatuto da Criança e do Adolescente de 1990, a Lei de  Diretrizes  e  Bases  para  a  Educação  Nacional  de  1996  e  as Diretrizes Curriculares Nacionais para a Educação Infantil de 1998. A criança começa a brincar desde bebê. Mesmo antes  de  brincar  com  objetos,  brinca consigo  mesma  e com as  pessoas  a cujos cuidados  está submetida, brinca abrindo e  fechando  os olhos e com  isto fazendo o mundo desaparecer. Na medida em que cresce e que adquire maturidade neuronal com o consequente maior controle dos  movimentos,  os  objetos ao  seu  alcance  passam  a  fazer  parte  das  brincadeiras  e  do conhecimento do mundo que a cerca. A curiosidade de saber como as coisas funcionam é um dos motivos que a levam a esta exploração, e as mãos são o instrumento possível então.

O Centro de Criação Galpão das Artes, em Limoeiro ( agreste pernambucano ), recebe a exposição VAIVÉM DO LÚDICO, que conta com um acervo de vários brinquedos utilizados pela infância de antigamente e que ainda estão presentes nas comunidades interioranas do nordeste brasileiro. A exposição será aberta aos parceiros da instituição e convidados às 20h desta próxima quinta-feira (07 /07). Já a visitação aos interessados acontecerá somente até o dia 10 de julho, no endereço que fica à rua Vigário Joaquim Pinto, nº 465, bem no coração da cidade de Limoeiro. A entrada na exposição, ao invés de pagamento o visitante doará leite em pó que ser revertido as comunidades carentes do município sede do Centro de Criação Galpão das Artes..

O acervo pertence ao Centro de Criação Galpão das Artes. As peças foram coletadas ao longo dos últimos 05 anos, durante pesquisas de campo em diversas cidades do interior de Pernambuco, mais precisamente no agreste e zona da mata norte.

Os brinquedos que estarão em exposição segue uma apresentação a técnica de móbiles, onde identifica-se a vastidão de brinquedos populares e tradicionais não mais encontrados com tanta facilidade nos dias atuais. Portanto, a dinâmica dos móbiles permite e ver em dimensões outras os próprios brinquedos flutuando e girando, o que também causa todo um encantamento, adverte Fábio André, responsável pela pesquisa e exposição da coleção e também presidente da respectiva instituição cultural de Limoeiro.
O móbile é uma peça muito interessante de criar porque pode-se pensar na mobilidade como um todo. É quase como um brinquedo. Se você fechar os olhos e lembrar-se daqueles penduricalhos nos berços ou carrinhos de bebê, estamos falando quase da mesma coisa, só que em outras proporções e propósitos. Portanto, criar um móbile é criar uma atração para quem está vendo. Não há regras determinadas. Uma ótima dica antes de partir para a criação de um móbile é você sentar-se com o produtor gráfico ou a empresa especializada em fazer esse tipo de material e ver o que eles podem oferecer. Certamente, ficará maravilhado com as inúmeras possibilidades. E como estamos falando de uma peça que praticamente dispensa regras para ser criada, você está diante de algo que vai depender muito do seu bom gosto e sensibilidade. Móbiles podem ser feitos em papelão, PVC, infláveis. Permitem uma infinidade de formas. Abuse. Aproveite do produto. Recorte a imagem. Faça o móbile ter duas, até três partes, ligando as partes por um fio de náilon transparente.

CONTATO :
Centro de Criação Galpão das Artes
Rua Vigário Joaquim Pinto, nº 450
Limoeiro - Pernmabuco
Fábio André de Andrade Silva, arte educador e produtor cultural
81 . 9 9684 . 0567      /       81 9 9739 . 6207

Nenhum comentário:

Postar um comentário